sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Encerramento Gestar II - Correia Pinto/SC

Professores cursistas recebem seus certificados:Durante a apresentação de vídeo e homenagem:

Formadoras Municipais de Correia Pinto: Lucileia e Lucia




videoVídeo passado no encerramento do Curso.

No dia 03/12, encerraram-se as atividades referentes ao Curso Gestar II em Correia Pinto/SC.

Preparamos para este dia, um coquetel de encerramento para nossos cursistas, os quais receberam seus certificados e uma lembrancinha das professoras formadoras.

Acredito que o Curso Gestar II foi, para mim, um dos maiores desafios já assumidos em minha carreira do Magistério. No começo, expectativa, medo... porém com o passar do tempo, com os estudos realizados e a preparação das atividades, esse temor inicial deu espaço à coragem e a vontade de realizar um bom trabalho, que desse muitos frutos.

E, posteriormente, foi o que aconteceu. Tivemos o apoio da Secretaria Municipal de Educação, a qual nos subsidiou com o material necessário para o bom desenvolvimento do Curso e também participou financiando parte do Seminário e oferecendo o coquel de encerramento.

Percebemos, através dos relatórios dos cursistas e de seus depoimentos que o curso correspondeu às suas espectativas, pois veio de encontro às reais necessidades de nossos alunos,

Portanto, acredito que obtivemos êxito nesse projeto, pois nosso principal objetivo foi concretizado: conseguimos fazer um trabalho de equipe, de trocas de experiências e plantar uma semente que dará muitos frutos, mesmo que esses venham com o decorrer do tempo...

MAIS ALGUNS RELATÓRIOS REFERNTES AO CURSO:

E.B.M. OTINTHO D’ÁVILA MESQUITA

RELATÓRIO

Tudo o que é novo sempre nos deixa apreensivo, então ao iniciar o curso Gestar II, esse sentimento de preocupação foi desaparecendo à medida que as atividades foram sendo apresentadas e repassadas aos alunos, visando e se contagiando com a descoberta da diversidade que há no mundo das línguas de maneira natural e agradável.
Os alunos estão percebendo que as atividades propostas estão sendo feitas de forma descontraídas e estimulantes, fazendo com que as desenvolvam de forma lúcida e criativa.
As atividades de apoio à aprendizagem dos alunos referentes aos cadernos estudados no Gestar II são muito atrativas e fáceis de serem aplicadas, facilitando assim, o desenvolvimento dos alunos na escrita e na leitura. Durante as aulas de Produção Textuais se percebe o interesse em desenvolvê-las, pois procuro agregar os textos produzidos às Artes, e isto está tendo saldo positivo nas notas.
É importante salientar que as atividades estudadas no curso incluem questões críticas que estimulam os alunos a discutir temas relacionados ao contexto sócio-cultural em que vivem.
Esses são apenas alguns bons motivos para termos feito o curso Gestar e também para darmos continuidade a esse processo de descobertas que têm nos auxiliado muito no gosto pelas produções de textos.
Professora: Neiva Strapassão

E. ITINERANTE PROFª. ANA MARIA RODRIGUES COELHO.
PROFESSORA: MARIA SALETE CUNHA.

RELATÓRIO FINAL GESTAR II

O curso foi bem aceito pelos professores, principalmente, a convivência, a participação, o entrosamento, troca de experiências, as discussões foram enriquecedoras para nós como professores que atuamos no ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa.
Nossos encontros foram a melhor coisa que aconteceu, não houve nenhuma discussão, todos alegres, divertidos, pois nossa tutora Lucia permitia essa espontaneidade, dava liberdade para os nossos desabafos. As críticas positivas para o nosso crescimento. Tudo isso constituiu a base para o desenvolvimento da competência comunicativa do aluno e professor.
Os encontros não foram só discutir conceitos como variação lingüística, textos, intertextualidade, gramática, arte, literatura, gêneros textuais, mas mostrar que esses conteúdos podem e devem entrar em nossas aulas.
O trabalho foi gratificante em torno da leitura e da produção de textos, as atividades não foram fáceis, pois os alunos não gostam de ler. Posso garantir o trabalho é árduo, mas não impossível.
Tenho que salientar o apoio da diretora da Escola que nos deu sua colaboração em todos os momentos, com material e também sua ajuda profissional como professor que é.
Nossa expectativa é que continue esse projeto no próximo ano, pois os conteúdos são bastante eficaz e irão ajudá-los em seus conhecimentos e sua prática, para atingir melhor os objetivos que é a leitura e interpretação de nossos alunos, e assim, atingir o objetivo desejado por nós professores.
Começar não é difícil, terminar um pouco mais. Mas o que realmente é difícil é continuar!
MARIA SALETE CUNHA, Professora Cursista

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Vídeo: Educação e Vida

video

Vídeo: Educação e Vida, usado no Seminário de Encerramento do 1º Semestre.

Oficina 15 e 16 - TP 2



Encerramos os estudos dos TPs com o TP 2, nos dias 04/11 e 18/11.
Nesses dias realizamos muitas atividades, principalmente de avaliação. Aproveitamos para avaliar o curso e a nós mesmos, como profissionais e até mesmo como pessoas.
Iniciamos os trabalhos com o texto: Tempo Certo, de Paulo Coelho.

TEMPO CERTO
De nada adianta querer apressar as coisas
Tudo vem ao seu tempo,dentro do prazo que lhe foi previsto, mas a natureza humana não é muito paciente.
Temos pressa em tudo e aí acontecem os atropelos do destino, aquela situação que você mesmo provoca por pura ansiedade de não aguardar.
Então alguém podería dizer: Mas qual é esse tempo certo???
Bom, basta observar os sinais...
Quando alguma coisa está para acontecer ou chegar até sua vida, pequenas manifestações do cotidiano, enviarão sinais indicando o caminho.
Pode ser a palavra de um amigo, um texto lido, uma observação qualquer; mas com certeza, o sincronismo se encarregará de colocar você no lugar certo, na hora certa, no momento certo, diante da situação ou da pessoa certa!!!
E talvez seja por isso que você esteja agora lendo essas linhas...
Tente observar melhor o que está a sua volta.
Com certeza alguns desses sinais já estão por perto, e você nem os notou ainda.
Lembre-se que: O universo sempre conspira a seu favor. Quando você possui um objetivo claro e uma disponobilidade de crescimento.
Paulo Coelho

video

Vídeo: O Segredo dos Vencedores

Depois de lido o texto e apresentado o vídeo, discutimos sobre nossa vantade de mudar, vencer profissional e pessoalmente; muitos são nossos desejos, porém, muitas vezes, pelas adversidades encontradas, nos deixamos estagnar, sem perceber que cabe a cada um vencer seus medos e obter o sucesso. Assim é o nosso cotidiano como professores, que na maioria das vezes, deixa de motivar seus alunos, pois ao próprio falta motivação para continuar. Porém, cabe somente a nós mesmos vencer os obstáculos que nos chegam e procurar o caminho para vencer.

O encontro foi iniciado com a discussão das unidades 5 e 6 do TP2. Comentamos e comparamos gramática interna, descritiva, normativa; foi estabelecida uma interessante discussão sobre o ensino de gramática.Comentamos a abordagem do TP2 com relação a frase e sua organização.Em seguida foram realizados os relatos de experiências: “Avançando na prática”.

Uma das maiores dificuldades dos alunos, entre outras tantas, é assimilar a gramática textual, a pontuação, entonação e, principalmente, a reescritura textual, pois os alunos passam seu texto a limpo várias vezes para chegar a uma versão final. Para isso, foram utilizados textos de alunos para exemplificar melhor a tarefa de reestruturação textual ( o que havia ficado pendente no último encontro).

Assim sendo, é notório que cada vez mais temos que formar leitores, pois a maior dificuldade encontrada hoje, em nossas escolas, é a falta de um investimento e planejamento na formação de alunos que gostem, tenham prazer em ler, e, assim, melhorarem sua prática pedagógica. Porém, como atual coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação de nosso município, estou muito otimista com a semente que o Pragrama Gestar II plantou em nossas escolas e professores, pois este foi nosso último encontro de estudos, mas a sugestão dos colegas é que ano que vem, nos planejamentos bimestrais, usemos o material do programa, e, principalmente, as AAAs que durante o curso foram pouco utilizadas, mas com riquissímo conteúdo.

Depois de tantas discussões, foi realizada a oficina da página 149: proposta de atividade de leitura e produção de textos. Solicitou-se aos cursistas o planejamento de atividades:

1- interpretação de texto;

2- produção de textos;

3- análise linguística relacionada ao conteúdo estudado no TP2.

Para finalizar o encontro, realizou-se a avaliação das etapas de trabalho até a oficina e a orientação para o próximo encontro, que será o encerramento de final de ano, dia 03/12.

Os textos a seguir, foram solicitados aos cursistas como relatório avaliativo sobre o desenvolvimento do Projeto Gestar II nas Escolas Municipais de Correia Pinto/SC.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CORREIA PINTO
ESCOLA BÁSICA MUNICIPAL JOSÉ DO PATROCÍNIO
GESTAR ll

PROFESSORA FORMADORA: Lúcia Raquel Ortiz
PROFESSORA CURSISTA: Romarilva Ribeiro Schneider

SOBRE O CURSO

Diferente de outros cursos de capacitação que já participei, o “Projeto Gestar” se destacou por apresentar objetivos claros e uma proposta concreta para o aperfeiçoamento de minha prática pedagógica.
Este foi, com certeza, o ponto forte do curso. Através das oficinas, os professores cursistas, sob a coordenação da professora formadora, realizaram reflexões teóricas dos conteúdos e sugestões de atividades a serem desenvolvidas diretamente em sala de aula, com os alunos. Esse processo de troca de ideias e experiências também foi muito importante e serviu para percebermos que temos em comum muitas angústias e anseios relacionados às dificuldades e avanços de nossos alunos.
Com relação à aplicação das atividades sugeridas nos encontros, percebi que os alunos foram muito receptivos à maioria delas, e que , ao enfocar o trabalho com o texto, é possível torná-los melhores leitores e produtores de texto, capazes de interagir diante de situações comunicativas de maneira mais eficiente, já que toda e qualquer atividade de comunicação é feita através dele.
Sabemos, porém, que esse é um processo que se constrói aos poucos e muitas são as dificuldades encontradas ao longo dele. Durante à aplicação das atividades, pude constatar que os alunos ainda têm muitas lacunas com relação a compreensão e produção textual e que estas não serão sanadas de uma hora para outra. Tais lacunas são decorrentes da defasagem ao longo das séries devido a vários fatores que se colocam como obstáculo para o sucesso da aprendizagem. Como exemplo pode-se citar a falta de participação dos pais na vida escolar dos alunos, o pouco incentivo à leitura e outras atividades extra-classe, o acesso restrito a materiais e instrumentos do mundo letrado e a falta de motivação para o aprendizado em sala de aula.
Diante disso, o professor, principalmente o de Língua Portuguesa, se vê diante de um desafio que é o de criar meios que motive os alunos a vencer essas barreiras, o que nem sempre é fácil.
Esta foi justamente a proposta do Gestar, cabendo a nós professores, mesmo reconhecendo o excelente trabalho dos estudiosos que elaboraram o material para o curso, ampliar alternativas, além de ter um olhar crítico a todas as propostas para conseguir perceber o que é ou não adequado a cada realidade.
Acredito que, mais do que rever e aprender novas teorias e metodologias para o ensino da língua, o ponto mais positivo do curso foi a oportunidade que ele nos ofereceu de repensar nosso dia a dia em sala de aula fazendo-nos conscientes das limitações, mas também otimistas com relação a busca de soluções, afinal nossa vida profissional se faz, sobretudo, de muita pesquisa, ação e reflexão.

Correia Pinto – 2009.
GESTAR – Gestão da Aprendizagem Escolar
Língua Portuguesa

Relatório Final
O Programa Gestão da Aprendizagem Escolar chega a sua etapa final neste ano de 2009, na Escola Básica Municipal Jornalista Caldas Júnior, na disciplina de Língua Portuguesa, deixando como legado a certeza de que o essencial para a aprendizagem de um educando é a prática da produção textual revista em sua própria trajetória de vida. É a conquista do saber através da interação com a riqueza de informações que traz na sua própria bagagem de vida. É o estímulo realizado por nós educadores/mediadores do que lhes é nato: o conhecimento subjetivo. Os gêneros e tipos textuais trabalhados fazem com que esta subjetividade se manifeste com as ideias e preferências pessoais do indivíduo/educando.
O programa GESTAR revela uma nova prática escolar que interage com o mundo de vida do educando. E, desta maneira, vem ao encontro das avaliações estabelecidas pelo Ministério da Educação e do Governo Federal, como a Prova Brasil e o Enem. O que se espera, no entanto, é que todos falem uma mesma linguagem sobre a educação a ser trabalhada neste país. Pois sabemos que ainda há uma diferença enorme sobre o que é ensinado nas escolas públicas – aí apresentado sempre pelas novas metas e práticas de ensino – e o que é ensinado nas escolas particulares, que seguem apostilas e livros com a doutrina da gramática pura como relevante para a aprovação das etapas dos educandos.
A Educação é o futuro do Brasil, proclamam aos quatro ventos os governantes deste país carente de muito investimento no setor educacional público. Nós educadores travamos “guerras” de proporções incrivelmente díspares com o que nos é pedido e repassado com a prática de ensino e o que nos é oferecido como suporte didático e tecnológico escolar. Precisamos de ação e menos discurso.
A prática pedagógica do programa GESTAR em sala de aula foi bem aceita pelos alunos, que socializam muito mais com textos que interagem com o saber subjetivo que têm. Trabalhar com o que lhes é sabido é mais prazeroso e faz mais efeito com as informações objetivas que recebem e entendem como aprendizado. As atividades em que receberam material diferencial, como fotocópias, fotos, desenhos, entre outros, foram mais aprazíveis e interessaram mais. Sabemos que atividades com atrativos diferenciais, assim como os atrativos tecnológicos chamam mais a atenção e faz com que os educandos de dediquem mais nos trabalhos propostos. O que precisamos é de mais aparelhos tecnológicos para as nossas salas de aula. Deixo aqui, pessoalmente, o agradecimento às gestoras por terem oferecido suporte nas fotocópias de alguns textos entregues aos nossos alunos, bem como CDs e DVDs relacionados aos temas estudados e colocados em prática.
Com saldo positivo, lembro das horas dedicadas aos estudos deste programa e quanta dor de cabeça pelos incontáveis trabalhos e textos corrigidos e analisados. Como prerrogativa por ter participado da GESTAR, parabenizo aos idealizadores, Secretaria da Educação, as Gestoras Lúcia e Luciléia, em especial à gestora da disciplina de Língua Portuguesa, Lucia Raquel Rodrigues Ortiz, por ter se dedicado com maestria no encargo a que foi destinada.


Jean Toni Ribeiro – Professor de Língua Portuguesa - EBM Jornalista Caldas Junior

Oficina 13 e 14 - TP 1

video Vídeo O Berço da Desigualdade

As Oficinas 13 e 14 foram realizadas nos dias 07/10 e 21/10 e nesses dois dias começamos a delinear uma avaliação do curso.

Inicei as atividades com o vídeo O berço da desigualdade, o qual nos leva a refletir sobre a sociedade e as diferenças entre os iguais, o que rendeu bons e sábios comentários.Realizamos a leitura do texto “A moça tecelã”, para discutir a intertextualidade. Além disso, foi lido o texto de referência para discutir um pouco mais o conceito de “leitura”.

Em seguida, foram realizados os relatos de experiências com o “Avançando na prática”. Os professores comentaram as facilidades e dificuldades encontradas para implementar as atividades. Os professores sentem ainda, muitos alunos desinteressados em obter novos conhecimentos, em ter clareza dos conteúdos propostos, em ampliar seu vocabulário; porém, há uma gama de alunos que se mostra muito mais motivada à descoberta, às metodologias trazidas pelo curso; segundo eles, algumas turmas têm surpreendido pela ordem e vontade de realizar um trabalho melhor, apresentável. Também desenvolveu-se uma grande satisfação na dramatização dos textos lidos e propostos para tal.Os alunos têm se envolvido mais, gostam de vários gêneros, principalmente piadas. Cada professor relatou como tem realizado atividades que despertem o interesse de seus alunos e isso é realmente gratificante, pois esse momento de troca enriquece trabalho de cada cursista.

Alguns professores demonstram muito cansaço nessa reta final do ano letivo,pois o trabalho aumenta ainda mais; mas buscam apoio em seus colegas.A partir das discussões que ocorreram no último encontro, percebi que os cursistas ainda tinham dúvidas quanto à aplicação da reestruturação textual. Então resolvi explicar novamente, de outra forma. Para isso, selecionei textos de alunos para exemplificar melhor a tarefa de reestruturação textual e tentar minimizar tais dúvidas.

Como o fim de nosso curso aproxima-se, solicitei aos curistas uma avaliação geral do Gestar II, com diversos pontos a serem repensados por cada um deles:- Que obstáculos/desafios tiveram de ser superados? Como você resolveu?- Qual a importância das atividades desenvolvidas por você com seu aluno? Há alguma em específico?De que forma você percebeu isso?- Que práticas pedagógicas você tem realizado para que seu aluno demonstre que entendeu e não fique apenas nas verbalizações? -De que forma você percebeu se a turma aprendeu e se aprofundou nos conhecimentos anteriores?- Como as práticas comunicativas são/foram relacionadas com o desenvolvimento e o ensino da escrita por você e seus alunos?Que atividade(s) você destacaria da(s) que vc desenvolveu no Avançando na Prática que foram motivadoras, que estimularam? Por quê?Que situações levaram você a decidir as/e como as informações e que intervenções deveriam ser realizadas no decorrer do desenvolvimento de atividades?-Ao corrigir os trabalhos da turma, quais foram os maiores problemas na produção dos alunos? Houve reestruturação ou houve reescritura? Nesse processo houve algum crescimento do texto do aluno? -De que forma as teorias estudadas estão auxiliando você na preparação de sua aula? Todas essa questões foram lançadas aos cursistas como0 forma de reflexão e os mesmos as trarão para o próximo encontro. Também solicitei que realizassem em sala uma avaliação sobre o curso com seus alunos e as tragam para a socialização.

Na sequência, realizamos a oficina da página 172: os cursistas leram a fábula “A língua” e produziram um plano de atividade de leitura. Depois disso, expuseram seus planejamentos ao grupo em forma de cartazes.Para finalizar o encontro, realizamos a avaliação das atividades realizadas e da oficina.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

12ª Oficina: OFICINA LIVRE: Nova Ortografia



Dia 30/09, foi realizada a Oficina Livre sobre a Nova Ortografia da Língua Portuguesa.

Nosso trabalho teve início com uma mensagem: Otimismo, da qual foram feitos vários comentários sobre o tema.
No primeiro momento fizemos um estudo sobre as novas regras e discutimos bastante sobre as dificuldades que estas trarão para toda a comunidade escolar, pois se atualmente não é fácil fazer com que nossos alunos escrevam corretamente, pensamos que com a nova ortografia, talvez, esta seja ainda mais afetada .
Este é um trabalho ainda novo para a comunidade linguística, portanto, pensei em fazer algo lúdico, que possa ser aproveitado em sala de aula: dividi o grupo para realizarmos um jogo, em que cada atividade valeria pontos.

Realizamos várias brincadeiras, todas envolvendo o tema do dia: montagem de frase com palavras que fazem parte da nova ortografia, stop ortográfico, soletrando e finalizei com um teste realizado pelo Jornal Zero Hora (Porto Alegre/RS).
Acredito que esta oficina foi muito produtiva, porque ao mesmo tempo que estudamos a nova ortografia, brincamos, rimos e temos um bom material para ser utilizado em nossas salas de aula.

2º Encontro Referente ao Projeto: Jornal das Escolas Municipais









No sábado, dia 26/09, nos encontramos novamente com os dois grupos de professores do Gestar II de Correia Pinto, afim de dar continuidade ao projeto do jornal das escolas municipais.
Foi um encontro em que selecionamos o material para a 1ª edição do jornal.

No início de nossas atividades fizemos uma brincadeira com o grupo, a qual foi bem animada.

Posteriormente passamos à discussão de como havia sido a realização dos trabalhos em cada escola. Os professores relataram que, na maioria das atividades, houve empenho, dedicação dos alunos e dos demais professores para que nosso projeto fosse bem sucedido.
O principal objetivo do projeto foi alcançado, pois os alunos mobilizaram-se em reortagens,pesquisas, entrevistas, e em todas as atividades referentes ao mesmo; o que faz com nossa meta esteja cada vez mais próxima, pois desejamos melhorar a leitura, a interpretação, a produção e a pesquisa de toda a comunidade escolar.

O material para a seleção foi feito de forma a contemplar o espaço que teríamos, ou seja, a verba que temos para a tiragem não é muito grande, por isso não daria para ser muito extenso em seu conteúdo. Então, resolvemos selecionar a notícia mais importante de cada escola durante este ano e produções feitas pelos alunos ou achadas por eles.

Conforme havia sido combinado, o grupo de Língua Portuguesa fez a escolha do nome do jornal( JL&N - Jornal Letras e Números) e enquanto se dicidiam as demais matérias, foi formatado o logotipo deste.
Após esta etapa realizada, o grupo dividiu-se para delimitar estratégias de sua própria disciplina para os próximos encontros.

Oficina 11 - TP 6






No dia 16/09 realizamos a Oficina 11, estudando o TP 6, sendo esta, como a anterior, apresentada em power point.
Iniciamos a reflexão desse dia com o texto:


Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre

Assim acontece com a gente.
As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira.
São pessoa de uma mesmice e uma dureza assombrosa.
Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.
Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor.
Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre.
Pode ser fogo de dentro: pânico, medo , ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas as causas ignoramos.
Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo!
Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também.
Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer.
Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela nã pode imaginar um destino diferente para si.
Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela.
A pipoca não imagina aquilo de que é capaz.
Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM!
E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.
Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho da pipoca que se recusa a estourar.
São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar.
Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem.
A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura.
No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira.

Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva.
Não vão dar alegria pra ninguém.

RUBEM ALVES - "O amor que acende a lua")


Esse texto foi utilizado como um meio de rever nossas posições, "passar pelo fogo" da transformação, da inovação da revisão de conceitos a na tomada de decisões para que realmente haja mudança.
Passamos à socialização das atividades realizadas através do Avançando na Prática, do TP 5. Os professores têm realizado várias reescrituras de produções feitas em sala de aula. Porém, relatam que, de forma geral, os alunos escrevem pouco (quantidade de linhas), têm muita dificuldade em desenvolver suas produções e de, posteriormente, reescrevê-las; há muitos erros de coerência e coesão; e que realmente os preocupa, é que todos esses problemas estão intimamente ligados à falta de leitura, de visão ampla sobre os mais diversos assuntos.
Portanto, é sabido por todos os professores, e uma luta constante para cada um, conquistar leitores, encantá-los pelo mundo das lestras.
Muitas vezes, não importa qual é o estilo de literatura que o adolescente gosta, e sim, que esta é uma maneira de despertar o gosto pela leitura; pois, possivelmente, no futuro seu gosto se aprimorará.
Uma das atividades planejadas pelo grupo e aplicadas em sala, foi a leitura de diversos livros, inclusive os clássicos da literatura, e a contação em partes, muitas vezes sem o final da história, para seus colegas... o que despertou interesse pelas obras.
Também relataram e trouxeram algumas produções realizada sobre o TP 5: Tipos de estilo; o que gerou muita satisfação nos alunos, pois estes, além de estarem produzindo, divertiram-se com as personagens escolhidas (particularmente adorei o estilo "Rosa Chiclete!!!").
No estudo do Tp 6, trabalhamos o artigo "Gêneros: como usar", da Revista Nova Escola/Agosto de 2009, o qual vem de encontro aos nossos estudos sobre argumentação e produção dentro dos diversos gêneros literários.
Como uma forma de despertar o interesse de nossas classes, além do Avançando na Prática sobre gírias, p. 141, selecionamos dois filmes: "Escritores da Liberdade" e "Coração de Tinta"; reproduzimo-os e os levaremos para sala de aula, aproveitando assim, para trabalhar a argumentação escrita de qual deles o aluno mais gostou e porque, além de outras produções sobre os filmes.
Encerramos essa oficina de forma bem divertida, com o vídeo: O Sequestrador (o qual refere-se ao pleonasmo).